05/01/2009

Despesas de Campanha: Uma questão de bom senso.

Concordo com Sócrates ao defender a separação de datas entre as eleições autárquicas e legislativas. É certo que a junção de ambos actos eleitorais implicaria menos custos, porém o "prejuízo" do debate autárquico seria penalizante.

Por outro lado a crise financeira merece consideração dos partidos, pelo que ficaria bem um "acordo de cavalheiros" nos limites às despesas de campanha, renegando por exemplo a distribuição de brindes e limitando os actos de campanha a momentos meramente políticos sem artístas musicais nem jantares. Do mesmo modo não recorrer a outdoor's nem afixação de panfletos e limitar a distribuição de propaganda a folhetos de mão.

É uma questão de bom senso.


1 comentário:

josé manuel faria disse...

"Do mesmo modo não recorrer a outdoor's nem afixação de panfletos e limitar a distribuição de propaganda a folhetos de mão."

Não esquecer o milhão de analfabetos a acrescentar aos 2 milhões de iletrados.

Um dia seremos como nos países nórdicos, o boletim de voto sem símbolos, somente com o nome dos candidatos.