29/10/2008

Ranking escolar

As notícias de hoje, com a divulgação do ranking das escolas, independentemente do facilitismo ou não dos exames deste ano, revela uma realidade diferente para as escolas públicas e privadas.

Numa das entrevistas que ouvi na rádio, um dos alunos de uma das escolas pública classificada como uma das melhores do ensino público, ainda assim num modesto "décimo qualquer" lugar, porque todas as outras acima eram do ensino privado, disse que frequentava uma escola onde quase todos os alunos pertenciam a uma classe média privilegiada e que podiam pagar explicações.

Sobre o assunto ficam duas notas pela quais me tenho batido na blogoesfera:

1 - As escolas públicas devem assumir um modelo de gestão semelhante ao das escolas privadas (há dois bons exemplos em Vizela).

2 - O fim das explicações privadas remuneradas porque essa é uma obrigação dos professores sendo seu dever fazê-lo dentro das escolas.

3 comentários:

josé manuel faria disse...

"porque todas as outras acima eram do ensino público".

Deves querer dizer ensino privado.

As salas de estudo privadas de explicações por vezes encontram-se a 10 metros da Escola - são legais.

A gestão democrática escolar estatal "foice". Agora vai dar lugar ao Director nomeado, falta muito pouco para esta gestão, infelizmente, se tornar privada.

Não falta muito para as Câmaras governarem as escolas, e será o todo poderoso vereador da Educação o maestro da "coisa".

Andreia do Flautim disse...

Sim, mas agora os professores que estão a dar aulas já têm tanta parte burocratica para fazer que até pouco tempo têm para preparar as aulas, quanto mais dar explicações!

Quem dá explicações são mais os professores que não têm colocação.

Jorge Miranda disse...

Professor obrigado pela rectificação