13/10/2008

De Jamba a Wall Street

A jornalista da TVI, Conceição Queiroz, apresentou em Vizela o seu livro "Meninos da Jamba". Esta obra relata toda a história da campanha humanitária apelidada com o mesmo nome, a qual contou desde sempre com a ajuda muito especial de um grupo de jovens vizelenses da paróquia de Infias. Conforme foi noticiado em reportagens da TVI esta ajuda nunca chegou a Jamba, primeiro por razões burocráticas e depois, ultrapassada essa fase (penso que cerca de um ano depois da recolha de bens) a equipa da TVI não conseguiu levar o fruto da recolha devido a "atropelos" na viagem, entre os quais o roubo de uma ambulância que havia sido oferecida por um empresário da zona centro do país e, se não me falha a memória também havia pago a passagem aérea para o transporte de toda a ajuda. Os bens que sobraram acabaram por ser distribuídos numa zona a 300kms de Jamba, também ela muito carenciada.

Tudo isto aconteceu em Angola, país de recursos naturais inimagináveis e que nos últimos anos tem atraído investidores de todo o mundo, entre os quais empresas portuguesas. Numa rápida procura na Internet encontram-se inúmeros exemplos de investimentos imobiliários de luxo em Angola.

Cada vez mais a grande disparidade entre os mais ricos e os mais pobres vai sendo a causa de conflitos mundiais e atrevo-me a dizer que é a grande causa da crise económica que o mundo ocidental vive. Como em tudo, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. Com o dinheiro também é assim. O dinheiro não se evaporou, simplesmente está parado num grupo restrito dos muito ricos que apenas o trocam num grupo cada vez mais reduzido em investimentos e compras milionárias que na prática nada produzem.

O ciclo do dinheiro tem que ser reparado fazendo-o chegar às indústrias e actividades do sector primário as quais empregam as grandes massas, repondo níveis de confiança e poder de compra.

1 comentário:

Andreia do Flautim disse...

Um bom dia para ti!